Ir para conteúdo

Proteção passiva em tecidos e espumas combustíveis

Os tecidos e espumas são materiais presentes em grande parte das decorações e não devemos esquecer que são materiais altamente combustíveis, requerendo proteção passiva adequada para evitar que o fogo seja propagado por estes materiais.

Geralmente os ambientes que requerem controle de materiais de acabamento são os de serviço de hospedagem, grande parte dos locais de reunião de público exceto de recreação pública, serviço de saúde e institucionais e que possuam materiais explosivos.

Podemos citar diversos estabelecimentos que se utilizam de tecidos e espumas e que se enquadram nos ambientes que requerem controle de materiais. Estúdios de televisão, decoração de salas de convenções, fábricas de roupas, armazém das escolas de samba, salas de cinemas, teatros, hospitais, hotéis e espaço de eventos.

Este vídeo demonstra alguns pontos relevantes:

a)      O fogo consumiu a cenografia em tecido em menos de 25 segundo

b)      Apesar dos esforços para apagar o incêndio com extintor, estes não tiveram efeito

c)       Após o consumo de todo tecido, forma-se uma camada espessa de fumaça

Imagens da Internet

A principal causa de morte nos incêndios é a fumaça emitida pela combustão dos materiais, o tecido e espuma são um dos principais vilões por emitirem alto teor de monóxido de carbono, formando uma espessa camada que impossibilita a visão para fuga e letal caso seja inalada.

espuma

tecido 2

tecido

Devemos nos atentar que o tecido e espuma estão presentes também nos carpetes, tapetes e nos estofados das cadeiras e sofás. Representando um risco que não pode ser desconsiderado durante o projeto de proteção passiva.

Para combate aos riscos de incêndio dos tecidos e espumas, o tratamento destes materiais com a solução retardante de chamas é a melhor alternativa. Cada substrato e solução retardante possui um rendimento específico.

Qualidade e Eficácia

As soluções retardantes de fogo devem atender à norma NBR 9442/1986 – Determinação do índice de propagação superficial de chama pelo método do painel radiante, para este tipo de aplicação. Através de certificações internacionais e nacionais dos laboratórios de alta credibilidade mundial como a UL, IPT e BRE Global é possível ter certeza de que o material retardante que está sendo avaliado é eficaz.

Muitos produtos existentes no mercado brasileiro garantem a eficácia, porém sem a devida comprovação, por tanto, são produtos não reconhecidos pelo Corpo de Bombeiros para liberação ou renovação do alvará, e podem não cumprir com a funcionalidade prometida gerando risco às vidas.

O resultado do teste sob a NBR 9442 gera resultados de classificação A, B, C, D e E. Levando em consideração o valor médio e limites do Índice de propagação de chamas (Ip), que é resultado dos Fatores de Evolução de calor (Q) e Propagação de chama (Pc).

Conforme tabela abaixo é possível interpretá-los:

Classe Resultado (Ip) Interpretação
A 0 – 25 Há eficácia do tratamento retardante, desempenho significativamente melhor, solução retardante eficiente.
B 26-75 Há baixa eficácia do tratamento de retardante, houve melhoras pouco significativas.
C 76-150 Retardante não teve eficácia, a reação da fibra natural é a mesma que sem tratamento do retardante.
D 151-400 Retardante prejudicou a reação da fibra natural na propagação de chamas comparativamente com seu estado sem tratamento.
E >400 Retardante prejudicou de forma significativa a fibra natural, tornando-o com maior propagação de chamas comparativamente com seu estado sem tratamento.

Exija sempre retardantes de Classe A comprovados pelos laboratórios de alta credibilidade.

 

Aplicação | Tratamento

 A aplicação do retardante deve ser realizada sobre o tecido ou espuma, para áreas menores utiliza-se o borrifador e para áreas maiores o pulverizador. Se o tecido ou espuma não estiver instalado, é possível aplicação através de imersão na solução retardante e posterior secagem ao ar livre.

Devem ser sempre respeitadas às quantidades a serem aplicadas para a eficácia da solução (rendimento da solução retardante).

Ciclo de Manutenção

Tratamento de Tecido
Tratamento de Tecido

Fiquem atentos ao ciclo de manutenção, os tecidos e espumas não podem ficar sobre as intempéries ou serem lavados, perderá com o tempo a eficácia do retardante.

Não existe impermeabilizante para tecidos e espumas que resistam a lavagens ao longo prazo.

Outro fator que reduz a sua eficiência é a abrasão, para os carpetes, tapetes e poltronas que sofrem constantemente com a abrasão, deverá ser respeitado o ciclo de manutenção, garantindo que o tratamento esteja ainda eficaz.

Verifique junto ao fornecedor qual o ciclo e procedimento de manutenção, desconfie se você for informado que não requer reaplicação caso exista abrasão sobre o tecido e/ou espuma.

Investimento

Ao comparar os valores a serem investidos no tecido e/ou espuma, não basta sabermos o valor do litro de solução retardante. As quantidades de rendimento do retardante são relevantes para definir o valor que será investido.

Para os tecidos, existem retardantes com rendimento de 160ml/m² a 500ml/m², e para as espumas dependerá principalmente da espessura e densidade, não podendo definir um rendimento padrão.

Sabendo o custo do litro, será possível calcular o investimento em R$/m², este índice é o melhor comparativo de valores.

Não se deixe enganar pelo preço do litro, o rendimento pode acabar fazendo seu gasto ser o dobro ou triplo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: