Ir para conteúdo

Após incêndio, TRT-GO suspende atendimentos ao público em Goiânia

Prédio atingido por fogo passará por perícias e reparos ao longo da semana.
Já o Fórum ficará fechado até a próxima quarta (7); rua está interditada.

incêndio

O prédio do Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região (TRT-GO), que fica ao lado da obra do órgão incendiada, em Goiânia, ficará fechado durante esta semana para realizações de perícias. As chamas, que destruíram cerca de 80% da construção, também causaram danos à unidade em funcionamento, principalmente nos gabinetes dos desembargadores. Fotos divulgadas pelo órgão mostram os estragos.

Já o outro prédio do órgão onde funciona o Fórum, no mesmo complexo, não chegou a ser atingido. Mesmo assim, os atendimentos ao público estão suspensos até a próxima quarta-feira (7).

Segundo o presidente do TRT, Aldon Tagliaglena, as medidas foram necessárias para avaliar os danos e reparar os sistemas de ar-condicionado, que também ficaram estragados.

“No prédio dos desembargadores tive que suspender os atendimentos durante toda a semana porque os compressores de ar foram comprometidos, vidros precisam ser trocados, móveis e mobiliários derreteram. Então nós vamos ter uma reunião hoje para começar a fazer esses reparos e determinar o futuro da obra”, relatou.

A construção dos dois prédios era estimada em R$ 28 milhões. Vídeos mostram as chamas que atingiram grandes alturas e que muitos moradores ficaram preocupados com a situação.

Tagliaglena destacou que as perícias vão avaliar os valores dos prejuízos. “Depois dessa análise do grau de comprometimento do prédio a gente vai acionar o seguro”, disse, ressaltando que não foram perdidos arquivos. “Nosso setor de informática desligou o Data Center, que fica em uma sala-cofre, e 99% dos nossos processos são digitalizados. Houve uma perda ínfima de algum processo físico, mas eles também estão transferidos para a mídia digital”, explicou.

Ainda segundo o presidente, a população deve entrar no site do TRT-GO para ter acesso a uma portaria, na qual foram destacados novos prazos para os andamentos de processos e informações sobre os atendimentos.

Interior de prédio do TRT em funcionamento foi danificado Goiânia Goiás (Foto: Reprodução/TRT)Imagem mostra estragos em gabinetes de desembargadores, no TRT (Foto: Reprodução/TRT)

Incêndio
O Corpo de Bombeiros informou que o fogo começou por volta de 22h40 de sábado (3) e só foi apagado por volta de 4h deste domingo (4). Mesmo com o incêndio extinto, os socorristas realizaram o trabalho de rescaldo, que é o resfriamento de possíveis novos focos de incêndio, até as 12h.

“Nós sabemos que ele começou na lateral esquerda da obra, havia bastante material combustível nesta região e ventava muito no momento. Então a propagação, em razão da obra ainda estar sobre escoramento, e com muito madeiramento, foi muito rápida. As nossas guarnições chegaram e se preocuparam, inicialmente, em fazer o isolamento entre o prédio em construção e o outro do TRT, que está em funcionamento e poderia vir a se incendiar”, explicou o comandante do Corpo de Bombeiros, Carlos Helbingen.

Foram necessárias 17 viaturas, 51 bombeiros militares e 561 mil litros de água para conter as chamas, que ganharam grandes proporções. A corporação contou com reforços das equipes de Trindade, na Região Metropolitana da capital, e Anápolis, a 55 km de Goiânia.

Investigação
A Polícia Federal já começou a investigar as causas do fogo e realizou oitiva de testemunhas. Câmeras de segurança da região serão usadas para tentar esclarecer se o incêndio foi criminoso. Os agentes farão perícias ao longo desta semana nas unidades.

Morador da região, Galdino Neto contou que viu uma pessoa colocando fogo em um lixo próximo aos edifícios e que as chamas se espalharam rapidamente. “Eu vi um morador colocando fogo em um lixo e não dei atenção. Quando eu vi, 20 minutos depois, o fogo já estava no prédio”, disse.

Outro vizinho da obra, o engenheiro Júlio Moraes disse que percebeu o fogo em uma árvore antes de o incêndio atingir a obra. “A gente viu que a árvore estava em chamas e, de repente, outra que estava mais na esquina pegou fogo também”, relatou.

Questionado se havia vigilantes nas obras do TRT, o presidente do órgão destacou que a obrigatoriedade de monitoramento é em relação aos prédios habitados. “Para isso nós temos o nosso setor de vigilância. Mas com relação à obra, a segurança ficava a cargo da empreiteira, pois não tínhamos nem as chaves, pois era o patrimônio da empresa que estava em jogo. Então, pelo que me foi dito pelo responsável da empreiteira, havia seis vigilantes na obra”, afirmou Tagliaglena.

A enfermeira Rose Melo, que também mora nas proximidades, lamentou o incêndio. “É o nosso dinheiro sendo queimado, pois ele é nosso”, disse.

Rua interditada
Por conta do incêndio, a Secretaria Municipal de Trânsito, Transportes e Mobilidade (SMT) interditou a Rua Orestes Ribeiro, no trecho entre as Avenidas T-1 e T-29, onde fica localizado o complexo. Não há previsão de liberação.

O fechamento da rua, conforme divulgado pela assessoria de imprensa da SMT, servirá ainda para garantir menos riscos à população e mais facilidade de trabalho para as equipes da investigação.

Bombeiros levaram cerca de 5h para controlar as chamas em obra do TRT, em Goiás (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)Bombeiros levaram cerca de 5h para controlar as chamas em obra (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
Fonte: G1 Globo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: